Anos depois…

Em 1888, Guenino Vidor chega em São Paulo com sua esposa Elisabetta e os filhos Andrea, Lucia e Marino, tendo se hospedado na hospedaria do imigrante, conforme dados do Memorial do Imigrante de São Paulo.

Em 8 dezembro 1892 chega Angelo Vidor com 26 anos de idade, segundo registro no Arquivo Histórico de São Paulo.

Imigração Italiana

Em 1897, chega ao Brasil nova ramificação da família Vidor, representada por Giuseppe Vidor e sua família. Eles também eram procedentes de Farra di Soligo, onde viviam como agricultores. Conforme explicitado no passaporte italiano emitido em 17 de janeiro de 1897, Giuseppe era filho de Sebastiano Vidor e tinha 31 anos ao partir, enquanto sua esposa Fortunata Botteon tinha 28 anos. Na ocasio, tinham os filhos Antonio de 4 anos, Basílio de 2 anos e Sebastiano de 2 meses. Estabeleceram-se, inicialmente, em Juiz de Fora(MG) em 22 de março do mesmo ano e, posteriormente, em Santa Cruz do Rio Pardo onde a família cresceu e passou a ter grande importância comunitária. Na cidade, existe uma rua com o nome de José Vidor, em homenagem a Giuseppe. Os filhos Valentin, Celeste e Luiz nasceram no Brasil.

No pode ser descartada a possibilidade de outros imigrantes da família Vidor terem vindo para o Brasil em outros períodos, principalmente nas duas primeiras décadas do século XX, em que o Governo Brasileiro ainda estimulava a vinda de imigrantes europeus e asiáticos.