A Chegada da Família ao Brasil

Léguas de Caxias do Sul

Em 2 de janeiro de 1880, Giovanni Vidor chega com sua famí­lia no atual Municí­pio de Caxias do Sul (RS). Como parte do programa de imigração estabelecido pelo Imperador Dom Pedro II, ele adquire uma gleba de terra no Travessão Pedro II (Sétima Légua) Lote número 8 (Reg. No. 861), contendo 314.014m2. Ainda fazia parte da sétima légua o Travessão Vittorio Emanuele, em homenagem ao rei da Itália na época.

Itália - região de origem

Natural do Reino da Itália, Província de Treviso, Região do Veneto, vivia em Col.San Martino, Commune Farra di Soligo. Era filho de Basílio e Margherita Vidor, sendo alfabetizado e estava com 58 anos por ocasião da imigração. Dedicava-se prioritariamente as atividades agrícolas. Sua esposa Giulia, filha de Antonio e Monica Balliana, estava com 45 anos ao imigrar. Chegaram com os filhos  Tommaso Giuseppe (19 anos), Giordano (17 anos), Martino Antonio (13 anos), Francesco (6 anos) e Virginia (3 anos). Em 8 de abril de 1882, nascia a última filha do casal, recebendo o nome de Sabina Luigia.

Caxias do Sul em 1890.

No livro de Mario Gardelin & Rovílio Costa, intitulado Os povoadores da colônia Caxias de 1992 com 218pp, (existe uma cópia no Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul, catalogado como 981.652 G) constam diferentes relatos sobre a família. Entre eles, o casamento de Tommaso (nascido em 5jun1861) com Thereza Pozzan (nascida em 02/12/1861), filha de Ulderico Pozzan e Lucia Candarle, em 4 de junho de 1881, bem como da compra do Lote 41, com 156.000m2, por Francesco e do Lote 6, com 121.000m2, por Giordano que tinha 19 anos época da compra.